CBF se recusa a assinar o TAC proposto pelo MP/SP

 

Em reunião com o promotor Roberto Senise nesta segunda-feira, a CBF se recusou a assinar um termo devolvendo à Portuguesa os pontos retirados pela punição do STJD no caso Heverton. A recusa deixou claro o desejo de defender a decisão do tribunal e manter o rebaixamento do clube paulista para a Série B do Brasileirão

 Compareceram ao encontro o advogado da entidade, Carlos Miguel Aidar, e o diretor de competições Virgílio Elíseo. Após cerca de uma hora e meia de conversas com o representante do Ministério Público, a decisão foi por manter a punição e o Fluminense na elite do futebol brasileiro.

 “A CBF não iria contrariar a decisão do tribunal esportivo. Nunca fez isso, e não faria agora”, afirmou Aidar.

 Segundo o advogado da CBF, o próprio promotor já previa que o acordo não seria aceito. Agora, o foco da entidade é em cassar as últimas liminares vigentes, que incluem uma obtida na última sexta-feira pela Associação Brasileira do Consumidor (outras duas estão na Justiça de São Paulo, e uma em São José do Rio Preto). O MP estuda entrar com uma Ação Cívil Pública contra a CBF, mas ainda não se pronunciou oficialmente.

 “Agora temos que cassar essa última liminar, e o terreno estará plano para a realização do Campeonato Brasileiro”, disse Aidar.

 Tanto Aidar como Elíseo rejeitaram com veemência a possibilidade de um campeonato com 24 clubes. O diretor de competições afirmou que a CBF “só trabalha com uma tabela com 20 clubes, e com o Fluminense”. O advogado foi ainda mais incisivo.

 “(Um campeonato com 24 clubes) seria a falência do futebol brasileiro. Nenhum promotor ia querer a falência do futebol brasileiro”, finalizou.

 A medida entretanto, pode trazer problemas para a própria entidade: a liminar obtida pela ABC prevê multa diária de R$ 500 mil à CBF caso descumpra a decisão. O descumprimento acontece a partir da divulgação da tabela do Brasileirão, caso ela tenha o Fluminense dentre os 20 clubes da Série A.

FONTE:  portal UOL- 03/02/2014 – 19:12 HORAS

Esta entrada foi publicada em Destaques. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta