CNJ permite ao advogado sem procuração acesso ao processo eletrônico

Vitória da OAB/RJ: CNJ permite acesso sem procuração a processo eletrônico

Da redação da Tribuna do Advogado

24/05/2011 – Por unanimidade, o Conselho Nacional de Justiça anulou a exigência prévia de autorização judicial para advogados sem procuração terem acesso ao processo eletrônico. A decisão veio no fim da tarde desta terça-feira, dia 24, em julgamento de Procedimento de Controle Administrativo (PCA) apresentado pela OAB/RJ.

 
“Trata-se de vitória expressiva da Seccional e que terá impacto positivo imediato no dia a dia não só dos advogados fluminenses, mas dos colegas de todo o país”, afirmou o procurador-geral da OAB/RJ, Ronaldo Cramer, responsável pela sustentação oral da tese da Ordem.

O presidente da Seccional, Wadih Damous, que também foi a Brasília, argumentou que nenhuma corte pode restringir o acesso do advogado a processos judiciais ou administrativos que não estejam protegidos por sigilo.
 
Para o subprocurador-geral da OAB/RJ, Guilherme Peres, presente no CNJ, “a decisão está em harmonia com o principio constitucional expresso da publicidade dos atos processuais”. Ele lembrou, também, que o julgamento restabelece o respeito às prerrogativa dos advogados, que vinham sendo violadas, principalmente, em processos eletrônicos no Tribunal de Justiça e no Tribunal Regional Federal.
 
Esta entrada foi publicada em Destaques. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta